Crédito imobiliário volta a subir em maio e alta é de 127% nos cinco meses de 2021

Separador

29.06.2021 às 16:07


Depois de desacelerar em abril, financiamentos chegaram a R$ 17,4 bilhões no mês; é o segundo melhor resultado mensal do ano.

Os financiamentos imobiliários com recursos das cadernetas do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) tiveram alta mensal de 4,6% em maio, chegando a R$ 17,4 bilhões. No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, o avanço é de 127% contra o resultado de 2020, somando R$ 77,3 bilhões.

O levantamento é feito todo mês pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip).

Em 2020, o crédito imobiliário bateu recorde, mas a tendência de alta freou no início do ano. De R$ 17,4 bilhões em dezembro, o somatório caiu para R$ 12,3 bilhões em janeiro. Em março, contudo, houve quebra de recorde mensal nos financiamentos, que somaram R$ 18,4 bilhões.

A janela de 12 meses comprova que o ritmo do mercado segue alto. De junho de 2020 a maio de 2021, a alta no valor acumulado de financiamentos foi de 96,5%, chegando a R$ 167,2 bilhões. No comparativo apenas com o mês de maio de 2020, o aumento foi de 144,9%.

"Após desempenho positivo em abril (+2,04 bilhões), a captação líquida da poupança SBPE voltou para o campo negativo em maio (-R$ 1,18 bilhão). Uma análise da série histórica iniciada em 1995 mostra que em aproximadamente metade dos meses de maio a poupança apresentou resultado negativo", diz nota da Abecip.

Unidades financiadas

A Abecip também faz o levantamento de unidades financiadas, que tiveram aumento próximo ao de valores. No comparativo abril-maio, a alta foi de 4,3%, somando 73,2 mil unidades financiadas. Nos cinco primeiros meses do ano, o salto foi de 160,1%, chegando a 331,7 mil unidades.

A janela de 12 meses, de junho de 2020 a maio de 2021, registra aumento de 98% em relação ao período anterior. Foram 630,9 mil unidades financiadas. Comparando ao mesmo mês de 2020, maio teve 73,2 mil financiamentos, aumento de 194,6% contra o ano passado.

Assim como no balanço de valores, o melhor mês de 2021 foi março. Foram 82,7 mil unidades financiadas.